Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2015

Quadro interativo

Figuras da História da Humanidade Todos são participantes da mesma mesa ou do mesmo lugar, apesar das diferenças temporais. Figuras marcantes da História da Humanidade encontram-se reunidas, bem enquadrados no mesmo ambiente, nas suas feições e gestos: Bill Gates, Platão, Pelé, Bruce Lee, Winston Churchill, Charles de Gaulle, Henry Ford, Margaret Thatcher, Elizabeth II, Leonardo da Vinci, Albert Einstein, Confucius, Marie Curie, Wolfgang Amadeus Mozart, Marilyn Monroe, William Shakespeare, Yasser Arafat, Pablo Picasso, Michelangelo, uns contemporâneos e outros divididos no pensamento e por pontos históricos distintos. Muitas outras personalidades figuram no quadro, todas referindo o seu nome, bastando para isso colocar o cursor por cima das imagens respetivas e, se clicar, será levado à Wikipedia onde, evidentemente, terá referências disponíveis para consultar.
Observe o quadro »» no sítio http://www.frizou.org/.

Superfícies vidradas

Objetos de vidro Se olharmos à nossa volta, em casa, por exemplo, poderemos facilmente encontrar objetos de vidro, uns em bom estado de conservação e outros, eventualmente, já danificados. Mesmo estes, quem sabe, podem servir para efetuar uma pintura ou, na pior das hipóteses, para simplesmente experimentar a técnica de pintar sobre vidro. Nas feiras de velharias, aí sim, normalmente encontram-se muitos objetos de vidro e de diversos formatos e tons: copos, garrafas, jarras, etc. Para uma boa execução técnica é de toda a conveniência e como primeira tarefa limpar muito bem o vidro - água não demasiado quente e detergente líquido são suficientes para o efeito -, a não ser que se trate de um recipiente qualquer como por exemplo uma garrafa e, nesse caso, deve fazer-se uma mistura de água e detergente, juntando-se-lhe areia, agitando para melhor retirar detritos agarrados às superfícies interiores. O álcool é também um bom produto para a limpeza de superfícies vidradas, sobretudo quando…

Hiper-realismo

Superrealismo ou UltrarrealismoJoe Simpson
Na Arte, mais que Realismo será o Hiper-Realismo, designado também por Superrealismo ou Ultrarrealismo. Este modo de representação vem, em primeiro lugar, retirar algum protagonismo à fotografia em que esta expressa, se o quiser, a realidade das coisas, dos objetos, das paisagens, conseguindo retratar na perfeição.  Na pintura e na escultura, o Hiper-Realismo vem suplantar o próprio realismo (representação da realidade das formas e das cores). Poder-se-á afirmar que a alta resolução na fotografia é substituída na pintura pelo Hiper-Realismo, assumindo as fotos o meio primário para a expressão hiper-realista em que esta se serve da luz e sombra para melhor vincar a realidade. Joe Simpson é um artista inglês, ainda muito novo, que segue essa corrente artística, criando quadros de pintura a óleo ultra realistas. Influenciado por Edward Hoppers, Joe Simpson recria cenas cinematográficas dando uma especial importância à luminosidade que imprime nas su…

A paixão pelo tricô

Cozinha feita de lãNa galeria de arte de Warwick Está exposto um trabalho artístico em tricô, na galeria de arte de Warwick, no Reino Unido, levado a cabo por um conjunto de artistas amantes do tricô, australianos, uma equipa de cinquenta tricoteiros ou tricotadeiros, homens e mulheres, que se aventuraram na execução de uma cozinha com vários tipos de lã. Não só construíram os objetos maiores - frigorífico, fogão, armários, mesa, como também, do mesmo modo, os objetos de embelezamento: quadros de parede e outros elementos decorativos. Tudo, mas mesmo tudo, foi realizado através da arte de tricotar, como pode constatar-se no sítio "daily geek show", observando as imagens.

Esculturas de plantas entrosadas nas florestas

"Des sculptures végétales cachées dans les forêts" Este é o título original de um artigo de Laura Juliano, inserido em "Le Matin", jornal suiço online, que trata, de uma forma original, de especial representação artística. Pelo interesse que, entendemos, desperta a quem gosta das coisas novas da Arte, resumimos, traduzindo para a língua portuguesa o essencial do texto, evidentemente, acompanhado do nosso comentário: Trata-se de um artista britânico, Spencer Byles, que cria obras de arte a partir de plantas, na floresta. Sobretudo os caminheiros que gostam de fazer os seus passeios em ambientes florestais, naturalmente terão agradáveis surpresas quando se deparam com essas obras de verdadeira criação artística. Poderá dizer-se que a floresta não é propriamente um museu. Neste caso é-o, certamente. Este artista britânico tenta e consegue entrosar na floresta esculturas de plantas. "La Colle-sur-Loup, Mougins e Villeneuve-Loubet", perto de Nice, sul de Franç…